Você já deve ter ouvido falar sobre brechós e bazares, passado em frente a algum desses estabelecimentos ou até mesmo comprado neles, mas você sabe a diferença de ambos?

O bazar é uma loja onde se vende todo tipo de objetos e produtos, muitas vezes com artigos usados. Considerado um mercado público, pode ser em um espaço fixo em ponto comercial ou também pode ser feito em casas, garagens, barracas, entre outros. No Brasil, é também muito utilizado para gerar renda direcionada à fins de caridade. Muitos centros comunitários e igrejas optam pela realização de bazares com a finalidade de ajudar pessoas menos favorecidas ou para toda a comunidade.

O brechó no entanto, é também uma loja ou estabelecimento para venda de artigos usados, principalmente peças de vestuário (roupas, calçados, bijuterias, acessórios para qualquer gênero e nicho) ou antiguidades. Geralmente atraem um público mais alternativo, artistas e pessoas de baixa renda ou desempregados, bem como aqueles à procura de artigos originais e únicos.

Diferente dos bazares, os brechós costumam ser mais organizados, funcionando como uma loja fixa, os brechós tem uma curadoria e seleção para venda das melhores peças. Normalmente, há uma separação de categorias como gênero, cor, tamanho, entre outros. Já os bazares costumam ser mais bagunçados e em montes onde as peças tem preços extremamente baixos.

Frequentar e comprar em brechós, além de uma experiência única e divertida, é uma oportunidade de fazer melhor para o meio ambiente. A compra de roupas e artigos usados nos ajudam a diminuir os gastos com energia e produtos químicos, com uma grande redução no consumo de água e em uma grande massa de poluição. Ao comprar em brechós e bazares, além de economizar dinheiro, você ajuda a natureza e faz bem à comunidade.